O emprego da cor na Ilustração

Vamos estudar como as cores podem contribuir ou não com uma boa criação publicitária?

Estas são as finalidades da cor na Publicidade:

  • Chamar a atenção
  • Dar mais realismo aos objetos e cenas
  • Estimular a ação
  • Embelezar a peça e torná-la mais atrativa
  • Formar atmosfera adequada

A realidade do mercado é que em muitos casos é difícil ter uma equipe completa de criação ou pelo menos uma dupla (redator e diretor de arte). Então, se você vai trabalhar com produção de conteúdo para redes sociais, é bom favoritar este post.

“Segundo Hepner, existem diferentes associações de ideias ou estados de espírito provocados pelas cores:

Vermelho – lembra fogo, calor, excitação;

Rosa- suavidade, frescor;

Laranja – calor, ação, força;

Marrom – riqueza, solidez, luxúria;

Amarelo – claridade, esportividade, desenvoltura;

Azul-marinho – frio, formalismo;

Azul-claro – frescor, fragilidade;

Verde-escuro – doença, menor valor;

Verde-claro – frescor, inovação;

Púrpura – realeza, imponência;

Cinza – maciez, docilidade;

Branco – pureza, limpeza;

Preto – força, mistério, suspense”;

As informações desta publicação tiveram como fonte o Livro “Propaganda – teoria, técnica e prática”, de Armando Sant’Anna, Ismael Rocha Junior e Luiz Fernando Dabul Garcia.

Gostaram? Em breve vou divulgar mais dicas =)


Conheça a Escola que leva o nome do Livro “Redes Sociais – Estratégias de Monitoramento” (Editora Nova Terra, RJ). Cursos online e presenciais.  Pagamento no Débito, Crédito até 18x ou Boleto. Vamos estudar?

Anúncios

Como preparar uma boa pauta?

Antes esse tema era restrito ao interesse apenas dos estudantes de Jornalismo. Como hoje, toda pessoa pode ter um canal de comunicação (Youtube, blog, Fan Page, etc), a busca por pautas se tornou algo comum.

Aqui vou descrever como fazer um planejamento e conseguir ter boas pautas para o seu segmento. Vou usar as orientações profissionais do Nilson Lage (que estão no livro “A reportagem: teoria e técnica de entrevista e pesquisa jornalística):

As pautas de notícias (notícia é a cobertura de fatos) incluem:

a) Eventos programados (inaugurações, etc) ou sazonais (início do ano letivo, vendas de fim de ano)

b) Eventos continuados (greves, festejos)

c) Desdobramentos (suítes, continuações de fatos)

d) Fatos constatados por observação direta (mudanças de costumes, ciclos de moda, etc)

Desde o tempo que só existia jornal impresso a busca pela pauta prioriza fatos geradores de interesse. Além dos temas novos é preciso associar o trabalho à linha editorial do canal de comunicação.

Farei mais publicações como esta (baseadas em teorias e de profissionais renomados da Comunicação). Espero que as dicas possam ajudar na sua pesquisa!


Conheça a Escola que leva o nome do Livro “Redes Sociais – Estratégias de Monitoramento” (Editora Nova Terra, RJ). Cursos online e presenciais.  Pagamento no Débito, Crédito até 18x ou Boleto. 

Vamos estudar? Dúvidas? Envie: escola@anaceliacosta.com

Episódio especial da Web-série Como ser #SocialMedia

Caríssimos, o episódio desta semana é…comigo. Está chegando o dia do meu aniversário e como eu não sou obrigada a ficar por último nessa série, resolvi incluir o meu relato. 😉

Aqui tem um resumo das aventuras envolvendo meus jobs de Manaus a Brasília, São Paulo, Vitória. Tem também algumas curiosidades, coberturas sem smartphone 3G e coisas do tipo.

A Web-série Como ser #SocialMedia é publicada toda terça-feira, às 21h, quando a NET e o Youtube permitem. Assine o canal e acompanhe todos os vídeos sobre este e meus outros Blogs.

Have fun! 😉

Publicidade & Redes Sociais

O novo episódio da Web-série Como ser #SocialMedia é com o Marcos Cunha. Ele – que mora em Brasília – contou alguns detalhes dos primeiros jobs dele com redes sociais.

“Eu trabalhava com Comunicação sempre voltado para empresa. Sempre voltado para estratégia de Marketing. Com o passar do tempo isso passou a não me agradar mais. Comecei a ficar atento ao tipo de movimentação que acontecia e para o mercado estava indo”, disse ao explicar como decidiu escolher a área de redes sociais.

O Marcos Cunha contou um pouco da experiência que ele teve em várias agências de Brasília.

Quer achar o Marcos? Veja aqui no Twitter, no Facebook ou no Linkedin.

A Web-série Como ser #SocialMedia tem episódio novo toda terça-feira, às 21h. Assine o canal para ver tudo! 😉

Qual o perfil para trabalhar com monitoramento de redes sociais?

Tem alguma dúvida sobre isso? Seus problemas foram resolvidos. A publicitária brasiliense, Ariadna Neves, explicou quais as competências necessárias para trabalhar nessa área. Ela é supervisora de monitoramento na Agência Moringa, em Brasília.

A Ariadna Neves começou conseguiu o primeiro job dela por meio do Twitter: “Alguém me seguia e ficava de olho nas minhas publicações. Eu utilizava o Twitter para comentar sobre o cenário político de  Brasília”.

A formação em Comunicação não é importante, segundo a Ariadna Neves. “Já trabalhei com gente da área de Sociologia, trabalho atualmente com uma pessoa que é formada em Biblioteconomia. Trabalho com pessoas com formação na área de Ciência da Computação”, afirmou.

A afinidade com análise de dados também é fundamental. “Se você tem afinidade com Excel, gosta de fazer cálculos. (…) se gosta de analisar as pesquisas do IBGE”, explicou.

E aí, curtiu o episódio de hoje? Compartilhe com seus colegas que querem trabalhar na área de redes sociais. Assine o canal para receber os episódios primeiro! 😉

Um RP na gestão de redes sociais

Como usar as Relações Públicas nas redes sociais? Isso quem vai dizer é o RP, Vanberg Osório. Ele é baiano e, hoje, trabalha na Agência Monumenta, em Brasília.

O Vanberg já trabalhou com produção de conteúdo, planejamento, atendimento e monitoramento. Ele enfatizou o quanto a sua formação foi importante. “A profissão de Relações Públicas tem um leque de variações no qual você pode se inserir. De 2009 pra cá o digital é mais um leque para RP. Gosto muito de ser RP”, afirmou.

Ele destacou um projeto do período em que ele ainda estava na Bahia:  “Tive um prazer de ajudar a implementar as redes sociais do Senac”.

“Sempre gostei de analisar discurso. Não adianta apenas apresentar dados. Sempre tive uma capacidade de análise legal”, disse sobre seu primeiro job com monitoramento de redes sociais na Bahia.

Quer encontrar o Van? Twitter Facebook e Linkedin. vanberg2@gmail.com

ATENÇÃO. Toda terça-feira, às 21h, tem Web-série Como ser #SocialMedia. Aqui no Blog e no Youtube. VEM!

Da assessoria de imprensa para as redes sociais!

A baianidade invade a Web-série Como ser #SocialMedia!! O episódio de hoje é com a jornalista Carícia Temporal. Ela se formou pela Universidade de Brasília (UnB). Já trabalhou com monitoramento de redes sociais e produção de conteúdo. Atualmente desenvolve um novo projeto na Bahia.

No início ela conciliava o trabalho em uma assessoria de comunicação com um freela em agência de mídias digitais. “Eu trabalhava como repórter, quando me formei. Sempre tive muita afinidade com internet (…) Comecei a freelar junto com várias pessoas. Acabei me destacando pelo meu interesse. Eu me interessei muito e acabei evoluindo. As pessoas que trabalharam comigo me chamaram para produzir relatório, fazer estratégia. Não era só ‘positivo’, ‘negativo’ e ‘neutro’. A primeira ferramenta que usei foi o Scup”, contou.

A Carícia Temporal morou durante 7 anos em Brasília, mas há um ano retornou para Salvador.  Ela também citou como está o mercado de redes sociais lá: “Aqui tem muita agência grande que é offline e que agora tem a parte de WEB”.

Este episódio foi gravado via Hangout porque foi feito à distância.

Fale com a Carícia pelo Facebook ou pelo Twitter.

A partir de hoje a Web-série Como ser #SocialMedia será divulgada somente terça-feira, às 21h. Acompanhe e envie para seu colega que quer trabalhar com redes sociais! \o/ \o/